Presidente do TJ-BA quer instalação de universidade da ONU na Bahia

Presidente do TJ-BA quer instalação de universidade da ONU na Bahia
Foto: Divulgação

O presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), desembargador Nilson Castelo Branco, defendeu a instalação de um polo da Universidade de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), em Salvador. A declaração do desembargador foi feita na manhã desta segunda-feira (11), durante a abertura do Fórum sobre Segurança e Desenvolvimento Humano na América Latina e Caribe. 

 

“Nós temos que alimentar a forte esperança de que a universidade mundial de segurança e desenvolvimento social e humano da ONU tenha uma sede na Bahia. Esta possibilidade está nas nossas mãos e devemos lutar por ela”, afirmou o presidente do TJ na presença de outras autoridades. A universidade da ONU, para Castelo Branco, trará benefícios financeiros, sociais e humanos para a Bahia, especialmente na assistência de crianças e jovens de comunidades carentes.

 

Na abertura do evento, o presidente do TJ reforçou que uma das propostas do fórum é discutir uma amplitude no diálogo entre as instituições para construção coletiva da governança, com fórmulas criativas para construção da paz, e assim, atender a Agenda 2030 da ONU, com um planejamento multilateral da segurança baseado em ciência. O desembargador acrescenta que as políticas de segurança deve englobar o desenvolvimento de políticas públicas da educação, esporte, mobilidade, bem estar social, entre outros.
 

O evento, que se encerrará nesta terça-feira (12), contará com a participação de conferencistas do Brasil e do exterior para debater temas relevantes com vistas ao aprimoramento da justiça criminal. Entre os participantes, estão os Diretores do Instituto Latino-Americano das Nações Unidas para a Prevenção do Crime e o Tratamento do Delinquente (ILANUD), Douglas Durán Chavarría e Eugenio Raúl Zaffaroni, além de ministros das Cortes Superiores, desembargadores, magistrados e autoridades nacionais e internacionais.



Cláudia Cardozo/Bahia Notícias

Postar um comentário

0 Comentários