Dengue avança pelo país e Bahia já está em alerta

Com as altas temperaturas e períodos chuvosos aumenta a expectativa de proliferação do mosquito transmissor

Foto: Bruno Concha/Secom

Alerta para a dengue em todo o país. De acordo com dados da Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB) até o último dia 19 foram notificados 12.294 casos, em 268 municípios, 14 óbitos foram confirmados e três estão sendo investigados. A macrorregião Sul tem sido a mais afetada, a cidade de Itabuna registra 500 notificações. Em Salvador, até 23 de abril deste ano, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram 163 casos e uma morte. Com as altas temperaturas e períodos chuvosos aumenta a expectativa de proliferação do mosquito transmissor, por isso é hora de destruir os focos e acabar com o Aedes aegypti.

Os óbitos ocorreram nas cidades de: Barreiras (1), Luís Eduardo Magalhães (3), Porto Seguro (5), Candiba (1), Lapão (1), Aquarema (1), Salvador (1), Prado (1). Na Macrorregião Sul, a Regional Itabuna é a mais afetada por casos registrados, as cidades em sinal de alerta são: Coaraci (371), Floresta azul (241), Santa Cruz da Vitória (103), Itajuípe (224), Itabuna (500); na Regional de Jequié as mais afetadas são Aquarema (138) e Maracás (156); na Regional de Gandu, Gandu (47) e na Regional Ilhéus, Canavieiras (78) e Ilhéus (226).

A dengue é uma doença viral causada por um arbovírus transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti. Entre seus principais sintomas, destacam-se a febre, dores no corpo e manchas vermelhas. Para prevenir a enfermidade, o combate ao mosquito é indispensável. A água parada que se acumula junto a restos de lixos, vasos com plantas, pneus velhos, calhas e garrafas no quintal se tornam um criadouro perfeito para a reprodução do mosquito. A subcoordenadora de controle das arboviroses da SMS, Cristina Guimarães explica: “Estamos realizando as inspeções de rotina, os agentes visitam os imóveis de acordo com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Em Salvador, temos em média um milhão e cem imóveis e são 1500 agentes espalhados pela capital baiana. Os agentes visitam quinzenalmente os imóveis chamados de pontos estratégicos, que possuem grande quantidade de criadouros”.

Em geral os pontos estratégicos são estabelecimentos que vendem ferro velho, borracharias, lugares com copos descartáveis jogados pelos quintais. Os distritos sanitários com índices elevados de mosquito em salvador são: Subúrbio Ferroviário, Pau da Lima, Cabula/Beiru e São Caetano/Valéria. “Nesses locais intensificamos as ações. Conversamos com os moradores, conscientizamos das suas responsabilidades a fim de que se tornem também um agente de endemia dentro do setor deles. Trabalhamos com órgãos parceiros como a Limpurb, para retirada de entulhos e Secretaria Municipal de Ação Social (Sempre), que em geral enviam profissional habilitado como assistente social. Removemos os recipientes possíveis de criadouro e colocamos larvicidas. Já nos pontos estratégicos colocamos inseticidas, para matar o mosquito adulto”.

O tratamento para a dengue tem como objetivo aliviar os sintomas, como febre e dores no corpo, e normalmente é feito com o uso de paracetamol ou dipirona. Além disso, é importante manter a hidratação e ficar em repouso para facilitar o combate ao vírus pelo organismo. “Com a urgência da pandemia de Covid-19, muitas doenças infecciosas, como as arboviroses (dengue), foram colocadas em segundo plano e até esquecidas. Precisamos retomar a discussão e os cuidados com a dengue, focando em disseminar informações e campanhas de conscientização que estimulem a prevenção”, afirma Alberto Chebabo, médico infectologista e presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).


Cleusa Duarte/Tribuna da Bahia

Postar um comentário

0 Comentários