Setor de serviços na Bahia cresce em fevereiro e março em comparação a 2021

As informações são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE 

Foto: Divulgação/Ascom Seplan
Foto: Divulgação/Ascom Seplan

 

O volume do setor de serviços na Bahia voltou a crescer (3,6%) em março de 2022, frente a fevereiro, na série com ajuste sazonal. Retomou, assim, a trajetória de resultados positivos verificada desde novembro de 2021 e interrompida apenas pela queda registrada na passagem de janeiro para fevereiro (-0,4%).

As informações são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE.

A alta dos serviços na Bahia (3,6%) foi a maior para um mês de março nos 11 anos de série histórica da PMS (desde 2011). Também foi mais intensa do que a verificada nacionalmente (1,7%) e acompanhou o movimento de avanço do setor registrado em 24 dos 27 estados. A Bahia teve o 8º melhor resultado, num ranking liderado por Distrito Federal (10,3%), Sergipe (8,8%) e Paraíba (8,7%).

Com o resultado positivo de fevereiro para março de 2022, os serviços na Bahia passaram a operar acima do patamar de fevereiro de 2020 (+2,0%), o que ocorreu pela primeira vez desde o início da pandemia de Covid-19. O volume dos serviços prestados no estado, em março, foi o maior em três anos, desde março de 2019.

Na comparação com março de 2021, o resultado do setor também foi positivo na Bahia. Houve avanço de 15,3% no volume dos serviços prestados, o 12º crescimento consecutivo (avança desde abril/21) e o maior da série histórica para um mês de março, nesse confronto (iniciada em 2012).

O aumento também foi mais expressivo do que o registrado nacionalmente (11,4%) e o 9º mais elevado entre os 27 estados, 25 dos quais apresentaram avanço dos serviços frente a março/21. Os maiores crescimentos foram registrados em Alagoas (28,7%), Rio Grande do Sul (22,4%) e Pernambuco (21,5%).

Assim, no primeiro trimestre de 2022, o setor de serviços na Bahia acumulou alta de 14,6%, frente ao mesmo período do ano passado. Foi o maior crescimento registrado num primeiro trimestre nos 10 anos de série histórica da PMS para o indicador interanual.

O desempenho baiano também ficou acima do nacional (9,4%) e foi o 6º maior aumento entre os estados. Só Rondônia teve variação negativa nesse indicador (-0,5%), e os melhores desempenhos estavam em Alagoas (24,3%), Roraima (18,2%) e Rio Grande do Sul (16.1%).

Nos 12 meses encerrados em março, os serviços baianos também sustentaram avanço (16,6%), uma variação acima da verificada no Brasil como um todo (13,6%), num cenário em que todas as 27 unidades da Federação continuam com resultados positivos, lideradas por Alagoas (28,5%), Roraima (24,3%) e Ceará (19,4%). A Bahia tem a 8ª taxa de crescimento.

Atividades

O aumento no volume do setor de serviços baiano em março frente ao mesmo mês de 2021 (15,3%) foi resultado de altas ocorridas em quatro dos cinco grupos de atividades investigados pelo IBGE.

A maior taxa de crescimento no mês veio novamente dos serviços prestados às famílias (102,0%), que registraram a 12ª alta consecutiva (avançam desde abril/21) e têm o melhor resultado entre as atividades, tanto no primeiro trimestre de 2022 (35,9%) quanto no acumulado em 12 meses (86,3%). Por conta do avanço significativo, foi também a atividade que mais contribuiu para o bom desempenho do setor de serviços em geral, na Bahia, em março.

O segmento de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (15,3%) apresentou os segundos maiores crescimento e contribuição positiva para os serviços baianos no mês. A atividade mostrou seu terceiro resultado positivo consecutivo e acumula altas de 18,2% no primeiro trimestre de 2022 e de 17,5% nos 12 meses encerrados em março.

No outro extremo, os serviços de informação e comunicação (-6,0%) foram mais uma vez a única atividade a recuar, mostrando a quarta queda mensal consecutiva. O segmento é o único com retração acumulada no primeiro trimestre de 2022 (-3,6%), embora ainda apresente variação positiva no acumulado em 12 meses (0,9%). 

Bahia.ba

Postar um comentário

0 Comentários