Paulo Guedes parte para o ataque e cobra R$ 140 bilhões do BNDES

Ministro afirma que banco "deu uma rasteira" no Tesouro; instituição responde que segue cronograma e deve R$ 81 bilhões

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil
Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O ato era para comemorar os 70 anos da criação do BNDES. Apesar do ambiente festivo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, partiu para o ataque contra a direção da aniversariante, afirmando que a instituição deve ao Tesouro Nacional R$ 140 bilhões de recursos que deveriam ser devolvidos. Guedes também condenou o fato de o banco de fomento ter recorrido ao Tribunal de Contas da União. “Estão devendo e aplicaram uma rasteira na gente”, disse.

O ministro relata que dos R$ 400 bilhões antecipados, R$ 260 bilhões entraram nos cofres do Tesouro. “O jurídico do BNDES teve a coragem de ir ao TCU e o TCU caiu. Falaram que se devolver (tudo) agora estaria impondo uma perda ao banco. É ao contrário: estão se beneficiando do subsídio. Deveria estar devolvendo porque o Brasil está em guerra e precisando desse dinheiro”, completou.

“Tem que pagar até o fim do ano. Vocês precisam falar com o jurídico de vocês e pedir para colaborarem. Não obriguem a gente a pedir dividendos. Se não vamos ter que pedir 100% dos dividendos”, acrescentou o ministro.

Em nota, o banco afirmou que, em janeiro de 2021, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou a irregularidade dos empréstimos concedidos ao BNDES pela União. Dois meses depois foi firmado um cronograma das devoluções. “Até hoje já foram pagos R$ 565,1 bilhões, R$ 22,7 bilhões em 2022. O saldo remanescente é de R$ 81,0 bilhões”, responde o banco. 

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários