ACM Neto evita comentar possível apoio do União Brasil a Haddad

Foto: Max Haack / Secom

ACM Neto evitou comentar uma possível apoio do seu partido ao pré-candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad


Pré-candidato ao governo da Bahia e secretário-geral do União Brasil, ACM Neto evitou comentar uma possível apoio do seu partido ao pré-candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT). À Tribuna, quando questionado se teria resistência a esse possível apoio, ACM Neto respondeu: “prefiro o silêncio”.

Nesta semana, em entrevista ao jornal O Globo, o presidente nacional do União Brasil, Luciano Bivar, admitiu a possibilidade de seu partido apoiar a pré-candidatura de Haddad ao governo de São Paulo.

"A gente pode apoiar Haddad, se não tiver candidato. O que nós queremos é defender a democracia. Ele fala que defende a democracia. Como não temos mais qualquer compromisso em São Paulo, pode ser um caminho", declarou ele. Perguntado se o PT não estaria à esquerda do União Brasil, ele respondeu: "Isso é uma conversa que eu vou ter com Haddad. Ele já falou que estava aberto à economia de mercado".

De acordo com o jornal Estado de S. Paulo, Luciano Bivar quer fazer o União Brasil abandonar o apoio à reeleição do governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB). A cúpula do partido no estado garante, no entanto, que não houve definição sobre isso e que a legenda segue com o tucano.
Em evento com o pai, Milton Leite, que é pré-candidato ao Senado, o deputado Alexandre Leite (União Brasil) expressou o sentimento de parte do partido no Estado. Ele reforçou a aliança com Garcia e que “ninguém de fora vai ditar para quem a família Leite vai pedir voto”. "Leve ao Rodrigo (Garcia) o recado da família Leite. A família Leite tem lado e é ao lado do Rodrigo Garcia. Se não fosse pelo governador Rodrigo Garcia e pelo financiamento dessa obra nós não estaríamos aqui hoje. Não é ninguém de fora que vai ditar para quem a família Leite vai pedir voto nessas eleições“, afirmou Leite.

Bivar prometeu abandonar o candidato do PSDB alegando que a união do partido com o MDB romperia o acordo prévio das duas siglas. Parlamentares paulistas dizem que sequer foram consultados sobre isso até o momento. O deputado Geninho Zuliani (União Brasil) afirma que “não há outro caminho” em São Paulo a não ser apoiar Garcia, alegando que o acordo entre eles existe há meses. “Rodrigo tem sido leal aos compromissos com o União, não há motivo para rompimento. Além de ser o melhor para São Paulo”, disse Geninho.


Por Rodrigo Daniel Silva e agências/Tribuna da Bahia

Postar um comentário

0 Comentários