Servidores do BC decidem manter greve por tempo indeterminado

Foto: Google


Em assembleia realizada nesta terça-feira (24), maioria dos servidores decidiram manter a greve por tempo indeterminado


A greve dos servidores do Banco Central (BC) continua. Em assembleia realizada na noite desta terça-feira (24), a categoria decidiu continuar o movimento de paralisação por tempo indeterminado. A decisão foi tomada por ampla maioria. O Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), disse que 90% dos trabalhadores aprovaram a continuidade.

A decisão pegou o Governo Federal de surpresa. Nos últimos dias, algumas categorias decidiram retomar os trabalhos depois da oferta de aumento linear de 5% para todos os servidores. No Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), por exemplo, servidores e peritos médicos já voltaram ao trabalho nesta semana.

No entanto, os servidores do BC seguiram por outro caminho e decidiram manter a paralisação. A categoria pede um reajuste de 19% no salário dos trabalhadores. Além disso, eles também pedem uma reestruturação da carreira. Ambos os pontos estão sendo negociados há semanas com a diretoria do banco.

A greve dos servidores do Banco Central teve duas fases. A primeira durou 19 dias no último mês de abril. Depois de um princípio de acordo, os trabalhadores decidiram suspender a paralisação por alguns dias. Todavia, o assunto acordado não teria sido cumprido e eles retornaram ao movimento grevista no último dia 3 de maio.

A nova paralisação já dura mais de 20 dias e não tem previsão de término. Os servidores garantem que só pararam de realizar as atividades não essenciais. O Governo Federal, por sua vez, afirma que o movimento estaria prejudicando uma série de pontos com o Sistema de Valores a Receber (SVR), por exemplo.

SVR travado

O sistema de consulta ao saldo esquecido em instituições financeiras está travado. A ideia inicial do Banco Central (BC) era permitir a consulta da segunda rodada a partir do dia 2 de maio deste ano. No entanto, o processo teve que ser adiado.

O banco alega que a paralisação dos servidores atrapalhou o processo de melhoria na plataforma de consulta. A segunda fase foi adiada e, ao menos até este momento, não tem nenhuma previsão de retorno oficial.

O BC alega que mesmo com os atrasos, nenhum cidadão terá prejuízo. Quem tem algum dinheiro esquecido em instituições financeiras conseguirá recuperar o montante mais cedo ou mais tarde. Tudo dependerá da data final da greve.

Greves

Neste momento, o Governo Federal tenta manejar a situação das greves dos servidores públicos federais. Como dito, parte dos trabalhadores já voltou ao trabalho nesta semana, mas outras categorias ainda seguem sem previsão de retorno.

Além da greve dos servidores do BC, a paralisação continua entre os empregados do Tesouro Nacional. O movimento começou na última segunda-feira (23). Já os trabalhadores da Controladoria Geral da União (CGU) iniciam a greve na segunda (30).

O Governo monitora a situação e segue realizando reuniões com sindicatos para tentar chegar em acordos. Na maioria dos casos, o pedido dos trabalhadores é por reajuste salarial e também por melhorias nas condições de trabalho.

Do Notícias Concursos

Postar um comentário

0 Comentários