Dore Refrigerantes opta pelo silêncio e instalação de fábrica está ameaçada



Ontem (23) pela manhã o editor do site Alagoinhas Hoje fez contato com a Dore Refrigerantes por meio do telefone indicado no Google.

Pergunta que seria apresentada ao setor de comunicação: Qual o posicionamento da empresa em relação ao adiamento da votação pela Câmara de Vereadores do projeto de cessão de terreno para construção da unidade da Dore Refrigerantes?

Registre-se que àquela altura, manhã de terça-feira, o parlamento ainda não havia protelado a votação. No entanto, circulavam rumores sobre um novo adiamento.

Silêncio

A ligação foi transferida para a área comercial. Funcionária da Dore Refrigerantes de prenome Mayara (ou assemelhado) informou que o profissional responsável pela comunicação não estava na unidade e que ela não tinha autorização para repassar seus contatos.

Informou, ainda, que o contato do editor do site seria entregue ao gestor da área de comunicação. A empresa optou pelo silêncio.

Diretor

Também na manhã de ontem, na tentativa de esclarecer o imbróglio, o editor do site entrou em contato com Epaminondas Batista, diretor administrativo da Câmara de Vereadores, mas a ligação não foi atendida. Por mensagens via WhatsApp o diretor afirmou em entraria em contato.

Transcorridas quase 24 horas, aparentemente, o funcionário não deu nenhuma importância ao estabelecimento do diálogo, cujo principal objetivo era saber se o projeto estaria na pauta da sessão de terça-feira e as razões objetivas dos atos protelatórios em relação a tema que não é polêmico e nem coloca em jogo, de forma negativa, o interesse público. Muito pelo contrário.

Ambiente

Água de excelente qualidade, propícia para a indústria de bebidas, e ambiente de negócios com certos níveis de toxicidade não combinam, atrasam o desenvolvimento de Alagoinhas, a geração de postos de trabalho e futuros ingressos de impostos no caixa da prefeitura.

Empresários querem agilidade nas tratativas com os entes públicos e estabilidade para que os investimentos tenham garantia de retorno.

PH

O potencial hidrogeniônico (ph) da água, que varia de 1 a 14, simbolicamente, no caso da autorização legislativa para cessão de terreno à Dore Refrigerantes está abaixo de 6, ou seja, é de pura acidez e não adequado ao consumo humano (faz mal à saúde; alguns estudiosos não compactuam com tal assertiva).

Os sucessivos adiamentos da apreciação do projeto de lei de cessão de terreno à Dore Refrigerantes fazem mal à economia do município e acendem alerta para empresários que desejam se instalar em Alagoinhas.

Postar um comentário

0 Comentários