Deputado destina R$ 21 milhões do orçamento secreto a cidade administrada por primo

Verba destinada por Aelton Freitas prevê obras que beneficiam propriedades da família

Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

 

Secretário-geral do PL em Minas Gerais, o deputado federal Aelton Freitas destinou R$ 21 milhões do chamado orçamento secreto à cidade de Iturama (MG), administrada por seu primo, Cláudio Tomaz Freitas (PSC).

De acordo com jornal O Globo, a verba empenhada para uso futuro está prevista para sair dos cofres do Ministério do Desenvolvimento Regional para a realização de “pavimentação” de ruas, “adequação de vias” e a construção de uma “ponte” no município.

As intervenções incluem interesses privados, pois estão previstas melhorias no escoamento de águas de chuva de um loteamento e de uma chácara da família do deputado. Além disso, o asfaltamento facilitaria o acesso ao local. Segundo o jornal, o caso chegou às mãos da Procuradoria-geral da República (PGR).

Procurado pelo O Globo, o deputado do centrão admite que seu plano inicial previa que ele fosse “beneficiado”, mas alegou que só existiria irregularidade, caso as obras fossem concretizadas. “A gente sonhava em fazer o que não foi feito, ponto. Foi no ano passado, e eu ainda falei: ‘se esse asfalto ligar esse ponto àquele, a gente seria ‘beneficiado’’. Mas já ficou claro que não vai ligar, então a família não será beneficiada”, disse Aelton Freitas.

Questionado sobre uso de verba pública para benefício próprio, o parlamentar voltou a admitir o trabalho por interesses privados. “Quando você faz um jogo você pretende ganhar ou perder? Ou joga por jogar?”, respondeu.

Cláudio Tomaz Freitas (PSC), prefeito de Iturama, por sua vez, confirmou a destinação dos R$ 21 milhões do orçamento secreto feita por Aelton Freitas e admitiu que o deputado tem propriedades na cidade, mas negou que vá usar o dinheiro para beneficiar o político.

“Uma coisa eu te falo: não tem nenhum parlamentar sendo beneficiado com isso aqui. Não existe acordo ou qualquer tipo de conversa nesse sentido. O deputado Aelton, a família dele tem propriedade aqui no município. Mas eu gostaria de falar quando sair o projeto. Com o projeto em mãos, essas inverdades caem”, declarou.

Segundo o jornal, o caso foi denunciado à Procuradoria da República de Ituiutaba, onde o procurador Wesley Alves instaurou um procedimento preliminar sigiloso na última sexta-feira (7) e remeteu o caso à PGR.

Bahia.ba

Postar um comentário

0 Comentários