Caso Beatriz: suspeito confessa que matou criança com 42 facadas em 2015

DNA de Marcelo da Silva, 40 anos, foi encontrado na faca utilizada no crime

Foto: Divulgação/Polícia Civil/Arquivo Pessoal

Uma história macabra que há seis anos tira o sono de toda uma família tem desfecho anunciado. Está preso o suspeito de ter assassinado com 42 facadas a menina Beatriz Angélica Mota, 7 anos, em um colégio particular de Petrolina, no sertão pernambucano. Marcelo da Silva, 40 anos, que já estava preso por outros crimes, teve o DNA cruzado com o material encontrado na arma do crime. 

Na terça-feira, após ser ouvido por delegados, ele foi indiciado pelo assassinado. Nas redes sociais, a mãe da menina, Lucinha Mota, gravou vídeos onde diz não ter sido informado da suspeita e identificação de Marcelo. 

"No inquérito de Beatriz, não cabe um inocente. Não cabe. Aqui no inquérito de Beatriz só cabe os culpados. Se foi feito exame de DNA, se deu positivo, tem outros elementos que precisam ser confirmados, principalmente a motivação do crime, porque não vem a polícia dizer que ele é um doido que estava no meio da rua e entrou no colégio, não".


Metro1

Postar um comentário

0 Comentários