Servidores do Banco Central ameaçam também entregar cargos

A exemplo do que ocorre na Receita Federal, gesto é um protesto contra a não concessão de reajuste salarial em 2022

Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcelo Casal Jr/Agência Brasil

 

Servidores do Banco Central sinalizam a possibilidade de também entregarem seus cargos em protesto contra a ausência de reajuste salarial por mais um ano. No orçamento da União para 2022, apenas categorias das áreas de segurança foram contemplados com recursos para o aumento salarial. “Estamos descontentes, pois o reajuste deveria ser para todo mundo, até porque a inflação atingiu todo mundo”, relatou o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Fabio Faiad.

O movimento na autoridade monetária é semelhante ao que já acontece na Receita Federal, onde quase 400 ocupantes de cargo de chefia entregaram suas funções. Outro ponto de insatisfação é o fato de o Ministério da Economia ter perdido recursos no próximo ano para o governo poder reajustar a remuneração na área policial. Uma assembleia na Receita está agendada para esta quinta-feira (23). As duas categorias ameçam até entrar em greve. 

Com informações da Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários