Profeta Pandêmico: Bill Gates Alerta Para Próxima Pandemia

Fonte: Gettyimages.ru © Alexandra Beier / Fotógrafa Freelance

‘Vírus que já conhecemos’ pode gerar o próximo grande susto, afirma bilionário

O bilionário fundador da Microsoft, Bill Gates, alertou que a próxima pandemia pode surgir de um “ vírus que já conhecemos. ” Em entrevista ao El Diario, publicada no domingo, ele acrescentou que há 50% de chance de a próxima praga aparecer dentro de 20 anos.

Além de um vírus conhecido, a próxima pandemia pode ser um agente bioterrorista feito pelo homem, ou “ algo que dê um salto do mundo natural ” devido às “mudanças climáticas”, disse ele. Os esforços filantrópicos de Gates se concentram principalmente na vacinação e nas mudanças climáticas.

Para evitar a próxima pandemia, os países devem gastar bilhões de dólares na pesquisa de possíveis patógenos, sugeriu Gates, pedindo a criação de uma equipe de 3.000 especialistas com essa tarefa em seu livro publicado no início deste mês. A força-tarefa, intitulada com o inteligente acrônimo GERM (Global Epidemic Response and Mobilization), seria financiada pela Organização Mundial da Saúde, o que exigiria US$ 1 bilhão extra por ano – um aumento orçamentário de 25% – para que possa estar constantemente em à procura de potenciais surtos.

Enquanto a mídia fatigada pelo Covid aproveitou a varíola dos macacos como a próxima praga assassina do dia, Gates descartou seu potencial de destruir a humanidade, observando que “ há muito pouca chance ” de se tornar “ a próxima grande pandemia ”. No entanto, ele elogiou a cobertura, sugerindo que “ se não fosse a pandemia de coronavírus, a varíola dos macacos nem estaria nas notícias. E isso é bom .”

De fato, Gates não excluiu completamente a possibilidade de mutação da varíola dos macacos para se tornar algo mais desagradável, observando que era necessário manter o alerta porque centenas de casos do vírus surgiram na Europa, onde normalmente não é encontrado. Os primeiros aglomerados de varíola na Europa este ano surgiram em pessoas que viajaram para a África Ocidental, onde a doença é endêmica, e apareceram quase exclusivamente em homens gays e bissexuais.

A OMS, que realizou uma reunião de emergência sobre a varíola na semana passada, enviou mensagens igualmente confusas sobre o assunto. A chefe de Preparação e Prevenção para Epidemias e Pandemias da agência, Sylvie Briand, disse na sexta-feira que os casos diagnosticados eram apenas “a ponta do iceberg” e que “muitos outros casos” estavam à espreita “não detectados nas comunidades”, ao mesmo tempo tranquilizando as pessoas que “ esta não é uma doença com a qual o público em geral deve se preocupar” porque não “ se espalha rápido ” como o Covid-19.

O magnata do software alertou no início deste mês que o novo coronavírus ainda não havia terminado, sugerindo que o mundo “ ainda corre o risco de essa pandemia gerar uma variante que seria ainda mais transmissiva e ainda mais fatal ”.

Do Contra Fatos

Postar um comentário

0 Comentários