Muito caro! Pão francês consome 8% da renda mensal do brasileiro

Foto: Google

O preço do pão francês é 'salgado' como sempre e o item atinge 8% da renda mensal dos brasileiros. O preço do pão sobe junto com sua principal matéria-prima, o trigo.

De acordo com o cálculo feito pela plataforma de descontos online Cuponation, o brasileiro gasta em média 8,49% de sua renda mensal com o pão francês. Para a estimativa, foi levado em conta o consumo diário de cinco pães ao valor médio de R$ 6,79 por 500 gramas.

Consumo de pão francês é despesa significativa com a renda brasileira

Como uma casa brasileira em que são consumidos dez pães por dia durante o período de um mês de 30 dias seria necessário um investimento de mais de R$ 203, equivalente a 16,97% de R$ 1.200, valor atual do salário mínimo no país, a informação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

No Conteúdo feito pela Cuponation, a plataforma cita pesquisa da empresa global de estatísticas, Numbeo, no estudo foi registrado que o Brasil é um dos 50 países com os 500g de pão francês mais caros, ocupando a posição 42° entre todos os países do mundo. No topo do ranking aparece a Suíça, onde comprar as 10 unidades de pão precisa ser desembolsada valor equivalente a R$ 15,53.

Em segundo e terceiro lugar estão Islândia e Noruega com R$ 15,35 e R$ 14,91, respectivamente.

Preço do trigo torna o pão caro

Antes do aumento do preço do pão, o aumento do trigo, principal matéria-prima do item, foi sentido. Os aumentos de preços têm sido impulsionados desde a invasão russa ao território ucraniano, porque juntos os países representam cerca de 30% do comércio mundial de trigo.

Com a guerra na Ucrânia, o preço do cereal atingiu o nível mais alto dos últimos 14 anos. Com isso, desde o final de março, os brasileiros têm conseguido sentir ainda mais o aumento na compra de produtos como o pão, quando os produtores tiveram que comprar novas culturas de trigo.

Desde 2021, a população do país vem enfrentando o aumento dos preços dos alimentos como resultado da inflação.

Da Rede Brasil News

Postar um comentário

0 Comentários