Termo de Cooperação Técnica entre a Prefeitura de Alagoinhas e o IF Baiano de Catu vai garantir análise do solo e assessoria técnica para agricultores familiares do município


Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (21), o prefeito Joaquim Neto, o secretário de Agricultura George Caboré  e a Diretora Geral do IF Baiano de Catu Sandra Cerqueira de Jesus assinaram um Termo de Cooperação Técnica que irá garantir análise do solo e assessoria técnica para os agricultores familiares de Alagoinhas. O ato aconteceu durante o primeiro dia da 2ª Feira da Agricultura Familiar.

Conforme explicou o secretário Caboré, logo no segundo mês à frente da pasta, ele procurou o IF Baiano, a fim de pleitear soluções para aumentar a produtividade no campo, “pois a gente doava os adubos sem entender se aquele adubo servia para determinada cultura”. Inicialmente, serão contempladas as comunidades de Pindobal, que possui uma mandiocultura forte; Conceição, que produz laranjas de umbigo famosas; e  Rio Branco, conhecida pela tradição na apicultura. Na última localidade, a assessoria técnica pretende recuperar a produtividade.  Rio branco já chegou a produzir 70 toneladas de mel por ano.

Com relação à análise do solo, o prefeito Joaquim Neto ressaltou que ela  “vai ajudar a aumentar a produtividade dos agricultores de Alagoinhas. Essa é uma ação inédita e gratuita para os produtores rurais, que irá fortalecer a agricultura familiar”.

A expectativa é de que sejam realizadas cerca de 1500 análises, que permitirão identificar as necessidades particulares de cada localidade. “Se o solo estiver muito alcalino, o produtor saberá que será preciso neutralizar com acidez, a fim de aumentar a produção de determinada cultura”, complementou o chefe do executivo.

A diretora geral do IF Baiano de Catu, Sandra Cerqueira de Jesus, destacou o papel das instituições públicas em cooperar com o desenvolvimento regional. Ela informou que o Termo de Cooperação também irá promover formação continuada para os agricultores familiares, “de acordo com a linha de atuação deles. Isso irá auxiliar o produtor a ter uma  melhor condição de vida e inspirar os jovens a permanecerem no campo, ao invés de irem para a cidade se sujeitarem a subempregos”.

A previsão é de que, já no final de janeiro, se iniciem a assessoria técnica e as análises do solo. “A gente entende que a Agricultura Familiar é hoje o maior pólo de emprego e renda do Brasil e do município”, finalizou o secretário Caboré.


Postar um comentário

0 Comentários