Epidemia de gripe atinge a Bahia e outros 16 estados, diz levantamento

De acordo com a Sesab, o estado registrou 395 casos de Síndrome Gripal (SG) com laudo positivo para Influenza A H3N2 em boletim divulgado na quinta-feira (23)

Foto: Fotos Públicas/GOVRS
Foto: Fotos Públicas/GOVRS

 

A epidemia do vírus da gripe H3N2 já atinge 17 estados do país, segundo levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo. No entanto, devido a instabilidade nos sistemas de notificação do Ministério da Saúde, não é possível saber o tamanho do problema.

Segundo a pesquisa, além de São Paulo e Rio de Janeiro, os estados do Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Rondônia são os de maior avanço da doença, tendo o maior número de infecções.

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), em boletim divulgado na quinta-feira (23), o estado registrou 395 casos de Síndrome Gripal (SG) com laudo positivo para Influenza A H3N2 e cinco mortes ocasionadas pela doença. Desses, 72 casos evoluíram para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e necessitaram de hospitalização, sendo 01 de Camaçari, 01 de Lauro de Freitas e 69 de Salvador. Os dados são referentes até a semana epidemiológica 51, encerrada na última quarta-feira (22).

No estado já foram registrados 5 óbitos ocasionados pela Síndrome Respiratória Aguda Grave por Influenza A H3N2, o que representa uma taxa de letalidade de 6,9% entre os casos de SRAG hospitalizados. A maior letalidade foi observada na faixa etária igual ou maior a 80 anos, com registro de 03 óbitos dentre os 17 casos confirmados nesse grupo (17,6%); seguido da faixa de 60 a 69 anos, com 01 óbito dentre 7 casos (14,3%); e 70 a 79 anos, com 01 óbito dentre 14 casos. Não foram registrados óbitos em menores de 59 anos.

Monitoramento
O monitoramento da circulação de vírus respiratórios é realizado através da notificação dos casos de SRAG no sistema de informação SIVEP-GRIPE. “E também através de amostragem realizada por unidades sentinelas da Síndrome Gripal (SG). Para efeito de notificação, devem ser considerados os casos de SRAG hospitalizados ou os óbitos por SRAG independentemente de hospitalização”, explica o boletim.

Devido à instabilidade no sistema de informação do Ministério da Saúde, o acesso aos dados de notificação de casos tem sido inconsistente e descontínuo, fazendo com que as informações permaneçam sujeitas a revisão.

Casos no país
Ainda segundo o levantamento da Folha, somando os números informados pelas secretarias de saúde dos estados, o país registra ao menos 1.312 casos e 10 mortes por síndrome gripal causada pela cepa H3N2, a principal em circulação. Mais de metade dos casos (772) está no Amazonas, mas o estado não detalhou se em todos eles a variante foi confirmada por análise laboratorial, como nos outros locais.

Bahia.ba

Postar um comentário

0 Comentários